França - Castelos do Vale do Loire e Paris

Basílica do Sagrado Coração de Montmartre

Localizada numa colina e com vista do norte da cidade e do Rio Sena, a Basílica de Montmartre foi construída e dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, com o propósito de renovar forças espirituais de parisienses e franceses cristãos com o comprometimento de manter-se alí 24h por dia de orações. Assim é até os dias de hoje, parisienses e peregrinos de todo o mundo mantêm preces permanentes.


Capela da Medalha Milagrosa

Local de três aparições de Nossa Senhora à noviça Catarina Labourè de julho a dezembro de 1830, a Capela no coração de Paris é local de paz e silêncio. Numa dessas aparições, Nossa Senhora pediu à então noviça que oferecesse ao mundo uma medalha e deu-lhe instruções sobre o objeto e seu simbolismo. Durante a epidemia de cólera em Paris em 1832, as Irmãs de Caridade distribuíram as primeiras medalhas, provocando conversões e curas e as medalhas foram logo chamadas de ¨milagrosas¨ pelos parisienses.


Capela de São Vicente de Paula

Nascido em 1581, São Vicente de Paula foi um apóstolo fervoroso que manteve suas atenções aos mais pobres, escravos e camponeses durante toda sua vida. Ordenado padre em 1600, anos mais tarde, reuniu senhoras da sociedade a fim de que cuidassem dos pobres e doentes. 
Fundador da comunidade dos Lazaristas, grupo de padres cuja missão apostólica se passa nas áreas rurais. Fundou também a comunidade das Filhas de Caridade e trabalhou pelos pobres até sua morte em 1660. Foi proclamado Santo em 16 de junho de 1737 pelo Papa Clemente XII.



Missões Estrangeiras de Paris

Nascida no século XVII, a sociedade das Missões Estrangeiras é a expressão concreta do espírito missionário do clero secular francês. Centenas de missionários foram à Ásia, 23 deles depois canonizados. Ainda hoje cerca de 30 padres são enviados por ano a esses países para difundir o Evengelho. Os 350 anos épicos da história missionária dos sacerdotes na Ásia (Tailândia, Vietnan, China, Camboja, Laos, Burma) são contados na Sala dos Mártires, consagrada à memória dos padres franceses que morreram no continente.



Catedral de Notre Dame

No coração histórico de Paris, encontra-se a Catedral de Notre Dame, jóia da arte gótica que ainda hoje ordena aproximadamente 20 padres todos os anos.
Projeto iniciado em 1160, quando o Bispo de Paris decidiu que sua diocese dedicasse a nova catedral à Virgem Maria. Símbolo da cidade e da França católica, no século XVII e depois de 23 anos de casado, o Rei Luiz XIII consagrou o país à Virgem Maria em agradecimento ao nascimento de seu primeiro filho, o mais tarde famoso Luiz XIV.



Castelo de Versailles

Em 1623, o Rei Luiz XIII comprou a terra onde só havia campos e um moinho. Amante da caça, mandou construir um lodge e, mais tarde, pediu que se plantasse um jardim em estilo francês. Em 1660 Luiz XIV decidiu estender os jardins e somente no fim do século XVII o castelo obteve a aparência que conhecemos hoje. Aqui vivia Luiz XVII à época da Revolução Francesa e de onde tentou fugir antes de ser capturado pelo povo e levado a força a Paris, onde foi finalmente decaptado em 1793.
Muito apreciado pelos jardins, arquitetura e aposentos ricamente decorados, o castelo é visitado por mais de quatro milhões de pessoas a cada ano.



Monte Saint Michel

No ano de 709, depois das primeiras aparições do Arcanjo Miguel, uma primeira capela foi construída e dedicada a ele. Aproximadamente 300 anos depois, os monges beneditinos alí estabeleceram sua comunidade. Reorganizaram as edificações existentes para transformá-las em mosteiro e receber peregrinos. Assim, o Monte Saint Michel se tornou um dos locais de peregrinações mais famosos do Mundo Cristão. 
Hoje lá vive a Fraternidade Monástica de Jerusalém, comunidade que tem como vocação ser um oásis de orações na região. 


Chambord

Um dos mais celebrados Castelos do Vale do Loire, é também um dos maiores (440 aposentos e 365 chaminés). Jóia do Renascimento Francês, sua construção começou em 1519 por ordem do Rei Francisco I e durou 30 anos. Sua arquitetura é incomparável e corajosa, símbolo do que o poder absolutista pode fazer quando por capricho pessoal. O castelo e seus domínios foram comprados pelo Estado em 1930 e passou por 30 anos de restauração até voltar a ostentar sua beleza original.



Blois

Patrimônio histórico desde 1845, o Castelo de Blois é exemplo clássico da arte e história dos castelos do Vale do Loire. 
Suas quatro asas constituem exemplo do desenvolvimento da arquitetura francesa do século XVIII ao XVII; com seus múltiplos estilos, seu edifício evoca o destino de sete reis e dez rainhas da França.


Quer saber mais sobre esse destino ou outras opções? Entre em contato conosco: 
 E-mail: atendimento@royaletur.com.br 
WhatsApp: + 55 11 9727 23652 ou + 351 920 380 612

Postagens mais visitadas